Num belo dia, eu e a Maria fomos passear a pé até à Praia das Maçãs. Foi uma grande caminhada.

Enquanto eu estava a andar questionei-me se aquele era o caminho certo para a Praia, porque não me parecia igual ao caminho que eu já fizera de carro.

Ao caminhar vi flores, plantas, natureza, usei o meu olfato, tato e audição para sentir a terra e o ambiente. Estive com atenção às coisas humanizadas tais como tijolos, cimento, ferro, madeira, plástico e vi a linha do elétrico. Ao andar de carro foi totalmente diferente! Prestei muita atenção à estrada e não reparei em tantos pormenores. Não dava para olhar com calma, andava sem parar e as coisas estavam mais longe.

Se, por um lado, de carro se anda mais rápido, a pé vê-se a natureza com mais pormenor.

Então, a forma como olhamos para as coisas, para o espaço, para o mundo, para tudo, tem a ver com a atenção que lhes damos, o tempo que disponibilizamos e com o que procuramos…

António Vasconcelos
Dezembro 2016

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *